Follow by Email

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Cuidado! Frágil!

Às vezes me impressiono com a fragilidade humana. Para mim, é difícil distinguir o que faz mais frágil um ser humano, se é sua atividade emocional ou simplesmente sua manifestação física (corpo humano e suas derivações). Vivemos a procura do tudo em busca do nada e nesta corrida incessável nos tornamos cada vez mais vulneráveis a todos os tipos de coisas. Somos assolados por um vazio indistinguível do que realmente somos, queremos ou pensamos. Cada vez mais percebo que esta vulnerabilidade nos deixa a mercê de idéias, desejos, sentimentos supostamente nossos. Afinal, do que precisamos realmente? O que queremos? O que pensamos? O que somos? O que, o que? Me cansa ver a mim mesma frágil emocionalmente, fisicamente, mentalmente em busca de um equilíbrio que eu não sei realmente se existe, onde encontrá-lo e para que serve. Acho que alguém muito esperto descobriu que todos somos frágeis antes de todo mundo e se usufruiu e usufrui deste segredo, fazendo com que nos percamos de nós mesmos sem perceber... Me cansa isso tudo! Seria bem mais fácil se todos olhássemos para dentro, no mais profundo do ser, e percebêssemos que tudo está conectado,tudo faz parte de um único todo, não adianta tentar se esconder a verdade sempre estará dentro de nós. Não quero mais fingimentos.