Follow by Email

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Quero

Quero a leveza do ser
sem pensar na iconsequencia do ter, do fazer...
Quero entender, mas não saber
Quero a tranquilidade do algoz
sem nem mesmo imaginar o desespero da vítima
Quero dormir uma noite de criança
e acordar o amanhecer de um velhinho
"Quero a sorte de um amor tranquilo
com sabor de fruta mordida..."
Quero tudo e nada, simplesmente quero!