Follow by Email

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Acaso?

Hoje resolvi arrumar um monte de coisas... no quarto, na mente, no corpo, na alma, no coração. Então, abri, depois de várias arrumações, livros ao acaso pra ver o que estes teriam pra mim. Ao som de Maria Rita (Muito pouco), eles me dizem:

" A noite

A noite é uma enorme esfinge de granito negro

Lá fora.

Eu acendo a minha lâmpada de cabeceira.

Estou lendo Sherlock Holmes.

Mas, nos ventres, há fetos pensativos

[desenvolvendo-se...

...

Impossível meu caro doutor Watson, seguir o fio

[desta sua confusa e deliciosa história.

A noite amassa pavor nas entrelinhas.

E um grude espesso, obscuro...

...

Só tu aí ficaste...

Só tu, do fundo da noite imensa, a agonizares

[eternamente na tua cruz!..."

Mario Quintana

"Porque na vida real, o improviso é que é o paraíso!

O não óbvio, o espontâneo, é que é o gozo!

Não adianta, tem gente que nasceu pra ser azulejo!

Oi, tudo bem, tudo bom, e aí como é que tá,

tudo bem, tudo bom!

O mundo inteiro se cumprimenta, mas não

se responde, as frases não se completam."

Angela Dip

"Mas muito pra mim é tão pouco
E pouco é um pouco demais
Viver tá me deixando louca
Não sei mais do que sou capaz
Gritando pra não ficar rouca
Em guerra lutando por paz
Muito pra mim é tão pouco
E pouco eu não quero mais..."

Moska

Depois de todas estas mensagens, só posso ter uma certeza: Coincidências não existem!

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Moda

Interessante a forma com que as pessoas tem pra lidar com as coisas, ou pra se proteger, não sei... Penso eu, que se todos agíssemos com a verdade, com sinceridade, teríamos um outro planeta. Olho ao redor e vejo que quanto mais hipócrita se é, mais se ganha. Fico perdida tentando entender como agir, como proceder em todas as situações, já que ser eu mesma não parece a melhor das opções hoje em dia. Num mundo em que estar na moda é o máximo, o que fazer com os diferentes? Pois, que eu saiba, moda é aquilo que se repete, que é maioria. Penso que tem alguma coisa estranha nisto tudo. Se lutamos a vida inteira para sermos reconhecidos como indivíduos, por que estar igual, agir igual é o mais interessante, a melhor escolha? Parece que alguém dita de algum lugar como procedermos nessa sociedade louca e todos seguem sem se questionar. É tāo louco isso tudo, que aquele que age de verdade, respeitando a sua individualidade e diferença, é nesta sociedade, o problema. Estranho... "o mundo é dos espertos", já ouvi isso em algum lugar, muitas vezes. Entāo, quer dizer que pra ser esperto tenho que ser igual a todos, nāo agir com verdade comigo mesma (nem com ninguém), pensar em mim acima de tudo, mas esquecer completamente da minha individualidade e diferenças, pois por ser um indivíduo único, é de se esperar que elas existam. Nossa!!! Muito complexo isso tudo pra mim. Nāo seria muito mais fácil assumirmos que somos todos indivíduos com diferenças, que agir com a verdade é bem mais fácil, do que ter que criar ou pensar em como tenho que agir a cada situaçāo, e que conviver com os diferentes respeitando o ser humano que há em cada um é a solução mais fácil e viável de todas?! Alguém algum dia disse: Faça ao próximo, o que espera que façam consigo mesmo (algo por aí). Genial!!! Mas não é preciso ser gênio pra perceber isso. Então por que é tão difícil ser verdadeiro com os outros, se queremos que sejam conosco? Respeitar, se queremos ser respeitados? Nāo entendo... esta é mais uma das inúmeras coisas que não fazem o menor sentido pra mim. Acho que não nasci com dons artísticos suficentes, atuar é bem mais difícil do que agir simplesmente. Na próxima, venho atriz...