Follow by Email

quinta-feira, 26 de abril de 2012

O Nada

Enquanto não fizermos nada, o nada acontecerá. Ultimamente tenho tido provas concretas de que enquanto não fizermos nada, nada será feito. Quando era adolescente, acreditava que podíamos mudar o mundo ("Até bem pouco tempo atrás, poderíamos mudar o mundo. Quem roubou nossa coragem?...") participei de lideranças jovens, manifestações, greves... sempre tinha opinião e expunha ela sem pestanejar. Lutava por meus direitos e pelos de todos que achava que podia lutar. Não sei o que aconteceu, mas em algum lugar do passado eu perdi essa coragem. Perdi essa capacidade de acreditar que se fizermos nossa parte, de alguma forma conseguiremos mudar alguma coisa. Essa coragem que nos dá força para questionarmos e impormos nossa vontade, nossa existência, doa a quem pudesse doer. Hoje sou medíocre, aceito minha condição, sem achar saída nela. Não acredito que se eu reclamar, expuser minha opinião, que alguma coisa vá mudar. Que eu vá fazer a diferença, ou que alguém se importe com isso. Parece que conseguiram me mudar. O sistema, parece pra mim uma causa sem solução, inatingível. Hoje, vejo o meu país de que tanto me orgulho, tratar com descaso e indiferença todos aqueles que tentam fazer o certo, serem corretos e honestos. Vejo a educação, o principal pilar de uma sociedade, em nosso país ser totalmente ignorada, desprezada, humilhada. Um ser humano que não é educado, não sabe discernir sobre o que é melhor para si, ou para os que te cercam. Não sabe respeitar ao próximo e muito menos a si mesmo. Enquanto a educação do nosso país for artigo de luxo, nosso país será artigo de lixo. Eu, que um dia acreditei que poderia mudar o mundo, que dediquei a minha vida para ter uma educação decente e apreender o que pudesse aprender, hoje sou medíocre, e aceito sem falar nada, só chorando baixinho... que desvalorizem tudo aquilo o que eu mais valorizei a vida inteira. É... enquanto não fizermos nada, o nada acontecerá.

2 comentários:

  1. Pra onde iremos? É a pergunta que tenho me feito também. Me sinto na mesma condição de inércia que você retrata no seu texto. A gente fica esperando uma resposta, uma razão pra continuar lutando, cair do céu.
    Talvez a razão seja sobreviver. Nós que somos inconformados com esse mundo cada vez mais insano, precisamos continuar a lutar, porque senão, em pouco tempo os insanos seremos nós.

    ResponderExcluir