Follow by Email

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Se ocupando com preocupações

Ultimamente ando divagando muito sobre minhas preocupações. Sempre fui uma pessoa bem "pré-ocupada" com tudo e com todos. Acho que principalmente com todos mais do que com tudo. Percebi só agora, no alto dos meus 28 anos de idade, que isso me torna uma pessoa insuportável e controladora. Se preocupar com seus problemas o tempo todo, já é quase patognomônico de neurose, mas se além disso você se ocupa demais com os porquês e poréns de todos os que te cercam, isso te torna um "neuroticoinsuportável ser". Cada um tem direito e deveres sobre si mesmo, e quem sou eu para interferir ou achar o que é certo, errado, melhor ou pior para alguém?! Me descobri uma pessoa arrogante e presunçosa ao me perceber como ditadora de regras e de escolhas de todos aqueles que um dia venham a se aproximar de mim. Sempre achei que desta forma estaria ajudando... que queria o bem do outro ... mas na verdade acho que queria gastar minha preocupação excessiva, para ver se um dia ela teria fim. Ao fim de tudo, acho que divagar sobre este assunto me fez perceber o porquê da minha vocação. Escolher fazer Medicina, não é porque quero ajudar aos outros, e sim porque posso me manter sempre preocupada com tudo e todos. Pois para mim, o médico nada mais é do que um preocupado que age se ocupando com problemas alheios. Espero que ao me formar como médica gaste bastante esta preocupação excessiva para deixar de lado aqueles que me cercam e não são meus pacientes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário