Follow by Email

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Coexistiremos

Afinal, o que é ser alguém? Ser alguém é ser forte, poderoso, seguro, arrogante, rico, inteligente, belo, inigualável? Ser alguém é ser de carne, igual, quieto, complacente, comum, tolerante? Ser alguém é ter alguém, alguns, algumas, muitos, muitas, querer, almejar, desejar? O que define afinal a existência do alguém? Se ele existe, ou se identificam ele? Se ele aparece, ou se sabe por-se em seu lugar? Se tem isso, aquilo e aquilo outro? Se faz isso, aquilo e muito mais? Se não manda, obedece. Se manda, manda bem. Afinal a existência do alguém está diretamente vinculada a existência de alguns, ou a existência de si mesmo em sua integridade? Existe o alguém, o algum, o algo mais, o algo menos. Todos compartilham da mesma existência. Já que existir por si só não vale a pena. Existir está diretamente correlacionado com o fato da existência de outrem. Se o alguém existe só, ele deixa de existir. Quem saberá de sua existência? De seus feitos, e não feitos? Ditos, e não ditos? Não há escapatória. Existir depende de de coexistir. Se alguém me vê, eu também vejo alguém. Não dá pra viver uma vida solitária e egoísta desse jeito. Eu só existo, se você existir. E que cada um faça sua parte!